Visit Us On FacebookVisit Us On Youtube
INDÚSTRIA
Maceió, 12 de outubro de 2016
INDÚSTRIA
Publicado em 13/05/2016
linha de crédito deve preservar empregos em pequenas empresas

governo pretende preservar  1,1 milhão de postos de trabalho

DINHEIRO

O ministro do Trabalho e da Previdência Social, Miguel Rossetto, disse que a nova linha de crédito de R$ 5 bilhões para financiar capital de giro de micro e pequenas empresas, aprovada na segunda-feira pelo Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat), tem por objetivo a manutenção de empregos e o estímulo à contratação de jovens.

 

“A novidade importante é que nessa relação de diálogo estabelecemos contrapartidas. As empresas que contratarem essa linha de crédito assumem o compromisso de preservação de empregos e do número de postos de trabalho por até 12 meses a partir do contrato. A segunda contrapartida é um compromisso de até seis meses – a partir da contratação [do crédito] – as empresas com mais de dez empregados contratarem um aprendiz, jovem de 14 a 24 anos, que mantenha sua escolaridade, realize um curso de profissionalização e tenha sua carteira assinada”, disse Rossetto, em entrevista, após reunião com a presidenta Dilma Rousseff no Palácio do Planalto.

 

Empregos mantidos

 

Ele afirmou que o ministério estima que, com essa medida, serão preservados 1,1 milhão de postos de trabalho e deve ser estimulada a contratação de até 100 mil jovens. A linha Proger Urbano – Capital de Giro será composta por R$ 2 bilhões do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e R$ 3 bilhões do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), segundo informou o Ministério do Trabalho e Previdência Social.

 

Os recursos da nova linha serão destinados a micro e pequenas empresas com faturamento bruto anual de até R$ 3,6 milhões. O limite de financiamento com verbas dos depósitos especiais do FAT é de R$ 200 mil por empresa, com prazo de pagamento de até 48 meses, com 12 meses de carência e limite financiável de 100%. Os encargos dos financiamentos, operados pelo Banco do Brasil, serão estabelecidos pela Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), acrescidos de até 12% ao ano.

 

Já o financiamento com recursos do BNDES, operado pelos bancos públicos, deve ser pago em 36 meses, incluído o prazo de carência de até seis meses, com taxa de juros definida pela TJLP mais 9,6% ao ano.

 

O Brasil tem cerca de 9 milhões de micro e pequenas empresas, responsáveis por aproximadamente 52% dos empregos formais e mais de um quarto do Produto Interno Bruto (PIB). A estimativa do Ministério do Trabalho e Previdência Social é que 100 mil empresas possam utilizar a nova linha.

Agência Brasil

INDÚSTRIA
Publicado em 29/09/2014
Industrias apostam em qualificação

Entre tantos autores selecionados, Adriana Calcanhoto não conseguiu contar com alguns Manuel Bandeira, cujos diretos de publicação não foram liberados pelos atuais foram liberados detentores de publicação não foram liberados.

Entre tantos autores selecionados, Adriana Calcanhoto não conseguiu contar com alguns Manuel Bandeira, cujos diretos de publicação não foram liberados pelos atuais foram liberados detentores de publicação não foram liberados. Entre tantos autores selecionados, Adriana Calcanhoto não conseguiu contar com alguns Manuel Bandeira, cujos diretos de publicação não foram liberados pelos atuais.

CONTATOS
E-mail:
  • comercial@semnacao.com.br
  • redacao@semnacao.com.br